Mulher na roda não é pra enfeitar

Mulher na roda não é pra enfeitar

 

Um dos eventos anuais que o Grupo de Capoeira Ginga de Maputo realiza é o “Mulher na roda não é pra enfeitar” que visa valorizar o papel da mulher na capoeira e prima pela igualdade entre os géneros. Este evento não é exclusivo para mulheres, embora o nome sugira isso, é extensivo a homens e se friza a importância da presença dos mesmos. Existe naturalmente o lado sensível e frágil no ser feminino e na capoeira não é diferente, contudo, grupo transforma esta fragilidade em poder, força e motivação. As mulheres não só são encorajadas a treinar mas a olhar-se a si mesmas como seres capazes de praticar a modalidade e de se destacar nela. A mulher na capoeira não só aprende mas também ensina e tem valor, o nome do evento sugere uma viagem de volta ao tempo onde as mulheres apenas cantavam e batiam palmas nas rodas de capoeira e com o passar do tempo foi-lhes dado maior espaço de actuação dentro da arte. Hoje em dia mulheres e homens são como UM na roda de capoeira 🙂

A montagem retrata a terceira edição deste evento, realizada a 17.12.16, onde foram trabalhados os nossos reflexos e sentimentos abordando a abrangência da capoeira para grupos vulneráveis como pessoas com deficiência física e visual. De modo geral, trazer à consciência de todos o cuidado e atenção incondicional a termos uns com os outros e, principalmente, a não discriminação e abertura de oportunidades para todos, porque no final do dia, somos todos iguais!

As duas primeiras edições aconteceram em 2013 e 2015 respectivamente e a 4a edição tem ainda data a anunciar para 2017.

Leave a Reply